Fundação Rotária Portuguesa presente na entrega de diplomas a bolseiros do Rotary Club de Abrantes

por | 20-Abr-2022 | Notícias

[smartslider3 slider=”10″]

“O meu percurso não teria sido o mesmo sem este apoio.” Foi desta forma que Ana Sofia agradeceu, dia 9 de abril, no auditório da Escola Dr. Manuel Fernandes, em Abrantes, a Bolsa de Estudo que lhe tem sido atribuída pelo Rotary Club de Abrantes (RC Abrantes), com o apoio da Câmara Municipal de Abrantes, de 17 patrocinadores individuais e da Fundação Rotária Portuguesa (FRP), que esteve representada,  na sessão, pelos administradores José Rosmaninho (também presidente da Comissão Executiva – CE) e Jorge Lucas Coelho.

Na cerimónia a estudante universitária de Química agradeceu em nome de todos os que beneficiam desta ajuda, sublinhando que lhes está a ser dada a oportunidade de conseguirem seguir os respetivos sonhos.

Leal Neto, presidente do RC Abrantes, lembrou que “vivemos num mundo com diferentes problemas de toda a ordem, desde as questões ambientais, até às económicas, passando pela guerra e pela fome, e que, por isso, precisamos de economias estáveis e sociedades mais justas e mais inclusivas”. “É um objetivo de difícil de alcançar”, mas neste processo “a educação tem um papel fundamental”, sustentou.

O presidente do RC Abrantes explicou que o momento de entrega dos diplomas é também a oportunidade de homenagear os patrocinadores do projeto. Das 68 bolsas de estudo atualmente atribuídas, 42 têm o patrocínio da Câmara Municipal de Abrantes e as restantes são suportadas por empresas e pessoas individualmente que, “imbuídas de um espírito de cidadania responsável e comprometida contribuem para que os jovens possam ser amanhã os agentes da transformação do bem social, contribuindo para a melhoria do bem comum”.

Patrocinadores entusiasmados em contribuir para a educação dos jovens

Manuel Valamatos, presidente da Câmara Municipal de Abrantes, dirigindo-se aos jovens, lembrou-lhes que receber esta bolsa de estudo “é um ato de extrema responsabilidade”. E porquê? “Porque depositamos grande confiança em vós. Temos uma grande esperança nos vossos percursos e confiança de que o farão de forma exemplar, quer do ponto de vista académico, quer do ponto de vista humano.”

Por outro lado, Manuel dos Santos (Farmácia Santos, do Rossio ao Sul do Tejo), em representação dos patrocinadores individuais, sublinhou o entusiasmo que sentem em poder contribuir para a educação dos jovens selecionados pelo RC Abrantes, esperando que “aproveitem bem a ajuda”.

Presidente da CE da FRP lembra responsabilidade dos jovens

José Rosmaninho, presidente da Comissão Executiva, da Fundação Rotária Portuguesa, que apoia o projeto das bolsas de estudo atuando como parceiro que credibiliza o processo, defendeu que receber este apoio “é um prémio, mas também uma responsabilidade de, um dia mais tarde, quando tiverem possibilidades, devolverem o que lhes foi dado”.

Para além do repto transversal a praticamente todas as intervenções, no sentido de que os jovens que hoje são bolseiros no futuro possam vir a ajudar outras pessoas com necessidades, o movimento rotário abrantino desafiou-os a fazerem parte do Rotaract, o clube que reúne jovens entre os 18 e os 30 anos.

A atual presidente, Constança Diogo, adiantou que, para além das iniciativas que desenvolvem para “ajudar e retribuir à comunidade”, a participação neste clube permite que os seus membros desenvolvam várias capacidades, como o trabalhar em equipa e o falar em público, o que revela ser uma ótima aprendizagem, nomeadamente ao nível das soft skills.

Mérito académico um dos critérios de seleção

Os jovens estudantes que atualmente beneficiam das Bolsas de Estudo do RC Abrantes são selecionados de acordo com dois critérios: o mérito académico e as necessidades do agregado familiar.

José Luís Silva, do RC Abrantes, responsável pelo projeto, ao longo dos últimos anos, lembrou que os bolseiros do clube são “jovens, trabalhadores, intelectualmente talentosos e que precisam de um pequeno apoio” para progredirem nos seus estudos e, depois, tornarem-se bons profissionais. Garantiu que “merecem a melhor sorte” e pediu-lhes que no futuro apoiem outras pessoas.

José Luís Silva evidenciou o “grande patrocinador” que é a Câmara Municipal e reconheceu o papel fundamental de cada empresa ou pessoa que, contribuindo com a atribuição de uma bolsa de estudo, estão a dar corpo a um dos projetos mais relevantes do RC Abrantes. Outro reconhecimento foi feito aos jovens João Galveias e Diogo Maia, que este ano desenvolveram uma plataforma que facilitou o processo de submissão de documentos e seleção de candidatos. Recorde-se que em cada final de ano letivo o o clube rotário abre candidaturas para este projeto de bolsas de estudo, que já beneficiou perto de 200 jovens.

Palestra de José Alves Jana encerrou cerimónia

A cerimónia terminou com uma palestra apresentada por José Alves Jana, que, de uma forma humorada, mas assertiva, disse aos jovens que, em vez de “calhaus rolados” devem ser “galos que cantam”.

Ou seja, em vez de serem o resultado daquilo que a vida lhes faz, moldados pelos tombos que vão dando, devem antes fazer como o galo, “que canta pela manhã, que anuncia a alvorada, que afirma a sua voz e que faz acontecer, quando alvoroça o galinheiro”.

Defendendo que não vale a pena gastar recursos com aquilo que não depende de nós, o ex-professor de Filosofia desafiou os jovens a concentrarem-se naquilo que querem e pediu-lhes para não serem fotocópias dos outros.

“Vocês são peças únicas, de material fabuloso e cuja vocação consiste em florescer, ou seja, transformarem-se na melhor versão de vocês mesmos!” E concluiu: “Com os vossos sonhos e estes apoios vocês têm o mundo à vossa disposição, se olharem e se virem bem”.

Notícias relacionadas